HOME  •  GOSSIP  •  FILMES  •  LIVROS  •  MÚSICA  •  SÉRIES  •  WTF?  •  TV  •  PROMOÇÕES                                                                   Assine o nosso feed! Conheça os colunistas Siga a gente no Twitter: @somos_criativos Contato/ Anuncie

07 setembro 2010

Behind - Capítulo 8: What the fuck is that shit? Oh! This is Thriller


YAY! Online o oitavo capítulo da minha, da nossa, da sua fic, Behind! (#ALOKA) Nesse dia de feriado da Independência do Brasil :B Leiam, leiam, leiam!! *-* Todos os capítulos estarão disponíveis no site às terças e quintas, e para ler desde o primeiro capítulo, basta acessar esta página. Esperamos que curtam, contem para os seus amigos e comentem (clique em Comente! no final do post.

Depois de um enorme escândalo em NY onde Felly Hompkins estava envolvida, uma garota de 16 anos, e perder vários amigos por isso, ela decide viajar para a Índia – um lugar que ela sonha conhecer desde criança – e lá ela conhece uma pessoa realmente especial que mudará sua vida. Quando ela volta de viagem, seu pai a surpreende com um inesperado presente – ela vai para Hervely North Academy um internato cheio de regras e de garotos e garotas que não estão nem ai para elas. Lá ela encontrará algumas melhores amigas e outras que vão querer matar a pobre Felly. E ela conhecerá vários garotos que farão ela se derreter, mas o coração dela pertence a apenas um, ou isso mudará?




                “Vocês vão querer quartos juntos ou separados?” Oz ficou pensando o quão a senhora que os atendeu era uma completa otária ou ela realmente tinha sérios problemas mentais ou talvez fosse só velhice. Como assim quartos juntos ou separados? Lógico que são juntos. Antes dos dois entrarem na casa eles estavam quase se comendo. E a senhora tinha os visto quase se comendo dentro do carro. Oz tentou achar um lugar melhor para os dois ficarem, mas já era tarde e ele não queria andar mais, então ficaram em uma casa-hotel-fazenda sinistra que ficava perto da estrada. A senhora que os atendeu deveria ter por volta dos seus 60 anos de idade, e o seu marido, que parecia ser rancoroso e um velho chato - pelo menos eles achavam isso - deveria ter uns 75 anos.
                A senhora se chamava Hellen Helden, mas seu apelido era Hell – tenso – e o senhor George – o curioso – Helden. O casal parecia não ter alguma companhia há anos. Eles pareciam tristes e infelizes, e Manny, sendo uma boa pessoa, tentou se enturmar com os velhinhos, - o que Oz achava incrível nela, e mais uma coisa para fazê-la diferente de todas as outras garotas nova-iorquinas. Ela era simpática e se importava com as pessoas sem importar de que classe social elas eram. – ela adorava velhinhos.
                Manny sentou ao lado de Hell e começou a conversar com ela. Elas ficaram um bom tempo conversando na sala de jantar obscura que ficava perto da sala. A casa era aconchegante, mas algumas partes eram tipo lugares perfeitos para algum tipo de serial killer. E isso assustava um pouco Manny... Na verdade, assustava bastante. Mas Oz estava ali para protegê-la, não é? Ah... Oz era muito fofo.
                Depois de ficar algum tempo – um bom tempo – conversando com a Sra. Helden e descobrir coisas sinistrar - Por exemplo: Sra. Helden teve três filhos que foram assassinados misteriosamente NA CASA ONDE MANNY ESTAVA HOSPEDADA; Sra. e Sr. Helden ouviam vozes na casa e tinham certeza que de que eram de seus filhos; E Manny e Oz iriam dormir no antigo quarto dos filhos dela. Manny quase teve um ataque cardíaco ali na frente da pobre Hell quando ouviu toda aquela história - ela tinha que contar tudo para Oz.
                Ela passou pelas escadarias velhas que rangiam e foi até o quarto da casa onde os dois estavam hospedados. Oz tomava banho, e ele ficava incrivelmente sexy molhado – e sem roupa – e por alguma fração de segundos Manny havia esquecido o motivo de estar ali parada na porta do banheiro desesperada, com uma cara assustada, quase sem ar e olhando fixamente para as partes inferiores de Oz. Ele estava com uma cara excitada e curiosa pelo comportamento de Manny e por ela olhar para ele daquele jeito.
– Eu sei que é bem grande, pode olhar. – Ele deu uma risada irônica e ficou encarando Manny. Ele foi um babaca ao dizer isso. Mas fazer o que se ele não estava mentindo. – Tipo, se você quiser, pode até experimentar. Eu deixo.
– Ba-ba-ca. – Ela fez uma cara de desprezo. Mesmo aquilo sendo verdade, ele não deveria falar assim.  Não com uma moçinha – Eu não quero não, obrigada. – Ela mentiu ao dizer isso. Manny estava louca para arrancar sua roupa, entrar no banheiro e fazer um sexo selvagem com Oz. , mas ela ainda era virgem e ela tinha certo receio de praticar algum ato sexual com Oz. Pelo menos ainda não era a hora. Ei... Eu disse ainda.
– Sei, sei. Você está doidinha para entrar aqui e ficar comigo. Haha. Eu não mordo... Só quando me pedem. – Ele fez uma cara sexy e começou a provocar ela. Ele era delicioso e estava ali prontinho para ser devorado. Rawr. Mas agora não era hora para devorar garotinhos sensuais e indefesos – aham – no banheiro. Não mesmo. – Vamos terminar o que começamos no carro, Ma.
– Ei, baby! Eu tenho que te contar uma coisa muito, extremamente sinistra. Pelo menos para mim foi. – Ela estava meio assustada como Oz nunca tinha visto. E isso era um pouco excitante. Ver ela assim era excitante. Ver ela de qualquer jeito era excitante para ele. 
– O que? Sr. Helden tentou fazer alguma coisa com você? – Ele reprimiu o riso e fez uma cara de revoltado e encarou Manny. Ela estava sem ar por ter corrido até o quarto para lhe contar as assustadoras histórias da Sra. Helden. – Se tentou vou matar ele. Aham, aham, aham.
– Nossa idiota. Claro que não! Nada a ver. Sério. Eu descobri umas histórias da Hell e elas são super... tensas. – Ela fez uma cara de mal e gestos com as mãos estilo Michael Jackson no Thriller. O que fez Oz rir. Ah... Ele ficava tão lindo rindo pelado no banheiro.
– Sério, Michael Jackson? O que? Ela tem cabeças de outros hospedes guardadas no sótão? Ou alguma coisa do tipo? O ketchup é na verdade sangue... Uuuh! Que medõ.
– É claro... E nós seremos os próximos, idiota. – Ela fez uma cara irônica para ele. - Claro que não. Mas é... Hum... Well, well, well my dear boy... Quase isso... É que a Sra. e Sr. Helden tinham três filhos e os três foram assassinados de forma misteriosa aqui nessa fazenda. E adivinha: NÓS VAMOS DORMIR NO QUARTO DELES. – As seis últimas palavras saíram bem baixas e devagar.
– Sério? Nossa. Estou morrendo de medo. Sério. Não... Acho que acabei de fazer xixi. – Ele olhou para baixo e começou a rir, depois saiu do banheiro e se enrolou na toalha. Os músculos dele eram tão definidos e ele era tão sensual. – Cara, relaxa. Eu estou aqui para te proteger.
– Relaxar? Como! Essa história dela é muito sinistra e nós vamos dormir no quarto deles. E se eles se zangarem e vierem se vingar com a gente porque estamos dormindo lá? Cara. Eu tenho medo dessas coisas! – Nessa hora o celular dela tocou uma música medonha que Felly havia colocado para quando ela recebesse alguma chamada ou mensagem dela. Manny se sentiu surpresa ao ler a mensagem da amiga, mas ela estava sem paciência para responder. Ela queria tomar um banho, relaxar, ficar com Oz e esquecer essa história sinistra toda.
– O que era a mensagem? – Disse Oz curioso vestindo uma cueca Calvin Klein preta. Manny achava cuecas pretas uma coisa super sensual. Ela dizia que deixava as bundas dos homens mais... Hum... Tentadoras.
– Era da Felly. Ela pediu desculpas por não ter me respondido e bla bla bla. Mas dessa vez eu que não vou responder. – Ela estava meio zangada e surpresa pelo pedido de desculpas da amiga. Mas como ela não respondeu a mensagem de Manny, Manny também faria o mesmo. – Acho que assim ficamos quites.
– Não acho que sua decisão seja a melhor decisão do mundo a ser tomada. – Agora Oz estava deitado na cama e tinha ligado a TV do quarto. Para uma casa assombrada, a TV deles era de boa qualidade e eles tinham mais de 10 canais.. Impressionante. Claro que não eram como uns 300 canais, digital, cabo, mas pelo menos você tinha com o que se distrair caso os fantasmas viessem. – Você só se iguala a ela tomando essa decisão.
– Mas é que... Ah, eu não estou com muita paciência para responder a mensagem. Eu estou em um momento assustador e cansativo agora. – Ela fez uma cara aterrorizante para Oz e isso o fez rir. Ela só queria pular na cama e beijar Oz ternamente. Mas a história mal assombrada, a falta de banho e o cansaço não a deixava fazer isso. - Se é que você me entende.
– É eu entendo. – Ele deu uma risada. – Er... Pelo menos acho que entendo.
                De repente as luzes da casa todas se apagaram. Manny entrou em estado de pânico e Oz a abraçou forte. Hum... Agora ele estava com medo? Parecia que sim. Os dois estavam agarrados juntos na cama de casal super king no quarto onde há alguns anos atrás moravam os filhos dos Helden que morreram naquela casa-hotel-fazenda e agora a luz do quarto – e da casa inteira – tinha acabado. Oz acendeu a lanterna do celular - que não era bem uma lanterna, era só mais um aplicativo inútil do iPhone que inventaram – quando ouviram um barulho de passos vindo em direção ao quarto onde estavam. Manny estremeceu. Ela estava, definitivamente, com muito medo. Medo do que poderia vir a ser aquele barulho. Mas a final what the fuck is that shit?

0 comentários:

Postar um comentário

-Certifique-se de que está comentando sobre algo referente a este post.
-Os comentários são moderados, ou seja, você os verá após serem aceitos.
-Você pode utilizar HTML para escrever em negrito [B] ou itálico [I]
-Caso o post contenha alguma notícia incorreta ou links indisponíveis, comente e avise que o autor atualizará as informações, ou utilize o próximo tópico.
-Comentários com humilhações, palavras de baixo calão ou qualquer outra expressão que denigre a imagem do blogueiro, outros comentaristas, site ou assunto/ pessoa tratado no post não serão aceitos.
-Para outras dúvidas ou qualquer outro tipo de contato, clique aqui.
-Saiba como colocar um avatar nos seus comentários!

Copyright Somos Criativos 2011 • Tema modificado por IgorVoltar ao Topopowered by Blogger